sexta-feira, 15 de abril de 2011

Buda, Peste e muita diversao


Conseguiiiiiiiiiiiii uma folguinha para postar sobre Budapeste. As meninas estao doentinhas, entao resolvemos nao sair hoje, ja que nossa viagem esta so comecando. Ai, na folguinha a noite, ca estou, em frente a um teclado sem acento (nao reparem, vai ser todo sem acentuacao), pronta pra falar um pouquinho desses 4 primeiros dias da nossa viagem inesquecivel!

Budapeste eh, como eu sempre ouvi falar e ja imaginava, ABSURDAMENTE LINDA! A cidade parece toda feita para impressionar, cada predio que se avista parece sair dos filmes mais lindos, cada jardim completamente florido pela Primavera europeia (que dispensa comentarios), enfim... Inexplicavel!

Cheguei aqui no dia 12, ja a noite. O trajeto do aeroporto para o hostel foi uma aventura, ja que as meninas chegaram antes de mim e eu o fiz sozinha. Primeira gafe da viagem: peguei o metro sem pagar, completamente sem querer (ta... eu sei q soa estranho, mas eu juro q entendi que o ticket do onibus, pelo quel eu paguei, valia para o metro. Aparentemente, nao =P). Nao deu nenhum problema, mas engambelei geral o sistema... Coisas de nao entender nem uma virgula do idioma...

O encontro com as meninas, claro, foi uma festa. Uma hora de abracos, fofocas que nao acabam mais e saudades que parecem que nunca se matam. Tenho gargalhado nesses dias como ha tempos eu nao fazia... AMO!

Aproveitamos os dias para conhecermos tudo que nos fosse possivel. No nosso primeiro dia aqui demos uma volta pela cidade, aprendemos que Budapeste eh dividida em 2 lados: Buda e Peste (duuuuuuuuuuuuuuh). Peste eh o maior lado, o que estamos hospedadas (alias, pausa para falar do hostel, que nos custou meros 14 euros por dia por pessoa para um quarto so para nos 3, com cafe da manha feito pela propria dona e staffs gente finissima! E o chuveiro tem ate som dentro dele, da pra acreditar? Anotem ai: Paprika Hostel. MEGA recomendado), onde tem o Parlamento, a Catedral de St Stephen (belissima tb), os parques com os banhos termais e muitas outras coisas. E Buda eh do outro lado do Rio Danubio (sim, o da valsa), com alguns museus, alguns labirintos (sim, eu fui! Nao, eu nunca mais irei em outro =P), a Igreja de St Mathias e alguns outros Monumentos bem bonitos, alem de uma vista incrivel da cidade, ja que esta eh uma parte mais alta.

No segundo dia aproveitamos para fazer um Walking tour gratis que tem em quase todas as capitais da europa, que eu sempre quis fazer e nunca fiz. Beeeeeeeem legal, a guia era super querida e nos deu varias informacoes bacanas! Descobrimos que, pelo fato de a Hungria ter uma colonizacao asiatica, o idioma nao se parece com nenhum outro idioma europeu, se comparando, no maximo, ao idioma finlandes ou ao falado na Lituania. O alfabeto hungaro tem SIMPLESMENTE 44 letras, e nao existe uma ordem correta para as frases , ou seja, vc pode falar "eu estou bem", "estou eu bem", "eu bem estou" e por ai vai. Talvez por isso o idioma deles seja um dos mais dificeis do mundo, e por isso eles treinem tanto o cerebro que fez com que eles ganhassem 14 premios Nobel. Sim, walking tour tb eh cultura =)

O hungaros sao EXTREMAMENTE educados, talvez mais que os londrinos e os suicos. Absurdo! O sistema de transporte publico da cidade eh TERRIVEL, mas pelo menos a chance de vc achar alguem que fale ingles eh bem grande. Hoje, por exemplo, fomos no mercado municipal, e a senhorinha que vendia comida falava um ingles super corretinho.

A comida daqui eh beeeeeeeeem gostosa, mas nao eh muito boa para os vegetarianos. O prato deles eh basicamente carne recheada com carne. Nao, nao estou brincando! Mas naaaaaaaaaada a reclamar =)

A cidade eh bem limpa, mas admito que eh uma visao de contrastes. Como diz a guia do tour, eh a Bela e a Fera: ao lado de um predio belissimo e bem cuidado, eh super comum vc encontrar um predio bem no estilo comunista, remetendo aos predios do Setor Comercial de Brasilia. Meio que uma mistureba, mas os predios imponentes sempre se sobressaem.

Uma coisa muito comum daqui sao os banhos nas aguas termais. Nos ate pensamos em ir em um, mas nao trouxemos biquinis e o dia hj estava bem friozinho, entao acabamos nao animando muito. Mas chegamos la na porta e me pareceu bem bacana!

A nossa experiencia na noite de Budapeste se resumiu a ontem, quando fomos na Morrinson 2, a famosa boate de 3 andares. Sinceramente? Ate o Fitzsimons (em Dublin) eh mais legal... Beeeeeem caidinha a boate, com galera esquisita e musica do tempo da vovo. Mas, assim como td em Budapeste, absurdamente barata.

Alias, vale a pena dedicar um tempo so pra falar do QUANTO a cidade eh barata. Ja falei do hostel que ficamos, mas eh possivel achar camas em hostel por 3 ou 4 euros. A moeda aqui eh bem complicada de converter (1 euro equivale a mais ou menos 260 HUF, entao complica td), mas qd vc usa a conversao 1 pra 250, td melhora e vc ve como eh ridiculo. Um bom almoco nao sai por mais de 10 euros (bom MESMO! Hj, por exemplo, almocamos por 4 a 6 euros e pedimos pizza no jantar, por 2 euros por pessoa), a entrada na boate eh 2 euros, as bebidas sao na faixa de 1,5 euros ate meia noite, e 3 euros dps. O metro e o onibus sao por volta de 1 euro. Inacreditavel? Pois eh, imagina para mim que moro em uma das cidades mais caras da Europa... Absurdo de barato!

Enfim, amanha estamos indo para Viena, mas ja com saudades de Budapeste. Definitivamente eh uma das cidades mais lindas que visitei por aqui!

Bjocas a todos

terça-feira, 12 de abril de 2011

Capitais Imperiais, HERE I GO!!!!

Você quaaaaaaaaaaaaaaaaaase foi embora sem deixar um novo post...

Post anterior estava muito triste e, como eu prometi, não iria viajar sem atualizar e sem deixar fotinhos do nosso novo ap, então cá estou eu!

Depois da semana mais trabalhada da minha vida, 46h exatas, treinando 4 ex-prováveis-auxiliares de chef, que poderiam ficar no meu lugar (nenhuma vingou. Ô, povinho ruim de serviço esses irlandeses mais novos, viu?! Affffffff), 8 dias ininterruptos de trabalho, 4 dedos cortados, FÉRIAAAAAS! =D

Tá, eu sei que você pode estar pensando que eu acabei de definir a sua rotina em TODAS as suas semanas de trabalho, mas você há de lembrar que estou, há quase 8 meses, trabalhando apenas meio-período, só de 2ª a 6ª, né?! Então vamos dar um descontinho... =)

De qq jeito, a semana foi deliciosa. Reativei o contato com algumas pessoas muito especiais no Brasil, que eu estava com muitas saudades de conversar, mesmo que pela tela fria de um Facebook. E meus amigos daqui de Dublin ganharam o Campeonato Irlandês de Futsal e em agosto representarão o país na UEFA de Futsal. Parabéns para eles, mega queridos!!!!

Hoje, às 15h30, pego meu voo em direção a Budapeste. Encontro com as meninas (Budapeste vai ser pequena pra esse reencontro =DDDDD), ficamos por lá até dia 16, quando vamos para Viena. Dia 18 embarcamos para Praga, dia 23 para Londres e dia 24 estamos de volta a Irlanda, onde ficamos viajando até dia 30, quando elas vão embora.

Depois disso, 1 mês de trabalho, curtindo cada segundinho de Dublin e amigos queridos, e aí,dia 30 de maio, embarcamos (eu e Mari) para Bruxelas, Amsterdam e Ilhas Gregas. Nada mal, nada mal =)

Bom, pra variar estou terminando de resolver as últimas coisas para a viagem e em 2 horas preciso estar no aeroporto. Então fica a promessa de que, se surgir a oportunidade, atualizo de lá algum dia. Caso não dê, na volta estarei aqui de novo!

Quem tiver a oportunidade, no dia 19 dê, por mim, um abraço BEM demorado na minha Mamys pelo niver dela, tá?! Primeiro aniversário que passo longe, a saudade vai apertar ainda mais, mas jajá estou de volta!!!!

Hoje tem beijo mais que especial a Cida, mãe do Ulgem (e do Eric, pq não?!), que eu conheci pessoalmente ontem e, como eu imaginava, AMEI DE PAIXÃO! Que pessoa fofa! Melhor ainda foi o Ulgem contando a história deles 2 se encontrando no aeroporto, ela largando o carrinho, correndo pra abraçá-lo e todo mundo aplaudindo! A-DO-RO!!!!

Beijos a todos, perdão pela falta de recadinhos, mas estou ficando em cima da hora. As fotos são do novo ap, da festinha que fizemos aqui de comemoração e das minhas flatmates lindas!!!

AMO!

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Sobre a violência e nossas crianças...


"Fábio* era um garoto comum. Brasileirinho, jogava futebol como só ele. Talvez sua baixa estatura e seu peso mirrado o ajudassem a ser ágil e passar por entre seus amigos como um raio.

Sofria de TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade) e, junto com os remédios controlados, o esporte era seu maior aliado para gastar um pouquinho de tanta energia acumulada. Corria o quanto pedissem a ele, pulava na altura que quisesse, tinha extrema habilidade com esportes com bola. Definitivamente, "levava jeito para a coisa", como diziam seus professores de Educação Física.

Era popular na escola. Por onde passava, era conhecido e reconhecido por seus colegas e professores. Talvez pela sua desinibição, talvez pela sua TDAH, falava muito alto, estava sempre articulando algum comentário (mesmo quando não autorizado), paquerava as meninas, zombava dos meninos e preparava sua lista de frases sarcásticas para responder às constantes reclamações dos professores em relação ao seu comportamento inadequado.

Fábio não era como seus colegas. Estudava em um colégio que era orgulhoso de se considerar inclusivo. Um colégio que aceitava crianças com síndrome de down, hiperativas, cadeirantes e com transtornos. Um colégio conhecido pela educação de seus alunos, pelo carinho e amor com que eles tratavam seus colegas especiais. Um colégio com professores orgulhosos de seus pupilos, mas cansados de lidar com a indisciplina constante de Fábio, o único aluno que lhes dava problemas. Ele era violento, bradava palavras chulas sem pensar, batia nos colegas que não o respeitassem, atentava contra as meninas com rótulos e provocações.

Fábio NÃO era como seus colegas. Quando muito novo, foi adotado por Vânia* e João*, um casal feliz, mas divergente em relação à sua vontade de ter filhos. Foi Vânia quem o quis, foi ela quem bateu o pé a favor da adoção, já que a vida e a natureza não a permitiram conceber seu próprio rebento. João, por amor (à Vânia, não a Fábio ou às crianças) cedeu, e juntos constituíram uma família.

Poucos anos mais tarde, em uma peça pregada pelo destino, Vânia sofre um acidente e fica em estado vegetativo em uma cama de hospital, deixando Fábio, muito novo, aos cuidados e sob a guarda de João. Nunca passou pela cabeça do pai devolver a criança, mas também nunca lhe passou pela cabeça amá-lo como deveria. E assim Fábio foi (sobre) vivendo.

Pouco tempo depois, aparece Virgínia* na vida de João. O sofrimento pela perda de Vânia ainda era grande, mas Virgínia, aos poucos, vai conquistando seu lugar no coração do homem, e, posteriormente, na sua casa. Os dois dividiam tudo: o teto, a cama, as dívidas e, acima de tudo, a falta de amor por crianças.

Fábio definitivamente não era como seus colegas. Ele não sabia mais o que era amor. Ele apanhava em casa sempre que fizesse coisa errada, coisa certa, qualquer coisa. Sua comunicação com seus "pais", quando acontecia, era sempre no grito. Sua história, antes tão cheia de esperanças, foi sendo pintada de preto por "pais" que não souberam amá-lo. Sua escola era o único lugar aonde ele recebia atenção e cuidado, mas ele já não sabia mais diferenciá-los de tantos gritos e violência. E a criança pura acabou por se tornar um adolescente em amargura. O que será deste adulto?"

A história acima poderia ser fictícia. Mas não é. Ela pertence a um ex-aluno meu (com nomes devidamente trocados), que tinha 12 anos na época que eu lhe dava aula. Fábio* me ensinou que o ser humano é, sim, um espelho do mundo. Que a criança não tem culpa dos seus atos e que não se deve julgar atitudes sem entender a história.

O atentado de ontem à escola do Rio foi contra o Brasil. Aqui fora todos estão comentando e me perguntando o que está acontecendo. E aí dentro, por meio de Facebooks, Twitter e Redes Sociais diversas, só vejo ira e julgamento em relação ao autor.

Não importa sua religião. Todas as crenças do mundo defendem o perdão, o amor e a compaixão como base para uma sociedade mais limpa e mais humana. Me pergunto, então: Aonde estão os religiosos e crentes em Deus, que sempre levantam a bandeira da oração, mas na primeira provação, publicam mensagens ofensivas que defendem a punição, às vezes pelas próprias mãos?

Faço, de tão longe, o meu apelo: deixem os sentimentos negativos para as famílias que estão em tanta dor e têm o direito de se permitirem sentir o que vier. Lembrem-se que, infelizmente, nem todos os cidadãos tem o privilégio de crescer em ambientes familiares saudáveis e repletos de amor. E tentem praticar o perdão, e rezar, mentalizar, emitir ou seja lá o que sua crença permite, pela alma do menino de 23 anos que teve razões que a própria razão não explica.

Lembrem-se que este menino matou 12, mas nossos políticos que roubam nossos impostos que deveriam ir para saúde, alimentação e educação, matam milhares e milhares todos os dias, e criam mais outros milhares de autores de massacres. É deles que deve ser cobrada uma mudança. E é de nós que essa cobrança precisa vir.

O post de hoje não ficará muito tempo. Amanhã ou, no máximo domingo, faço um último post antes de viajar. Mas precisava fazer este desabafo que ficou tão marcado na minha cabeça desde ontem.

PAZ e BEM, meus amores!

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Brasileira com muito orgulho

video

Videozinho do final do Jogo Brasil x Escócia, no Emirates Stadium, em Londres, no fds passado! Para lembrar que um viagem de final de semana sempre traz boas surpresas e que eu sou brasileira sim, e tenho muito orgulho disso!

Ainda me assusta muito a lista de coisas que sei que sentirei saudades! Ainda não consigo não olhar para as coisas com um certo pensamento de "no Brasil poderia ser assim, só bastaria uma forcinha". Mas cada dia que passa, aumenta a certeza de que a hora de voltar está chegando.

Hoje eu e Mari no mudamos para nosso ap novo. Não dá para descrever o tanto que é lindo! Super bem iluminado, com janelões enormes na casa toda. Os quartos são grandes e arejados, a cozinha é super bem equipada. Minhas flatmates foram escolhidas a dedo, e eu e Mari estamos terminando o intercâmbio como começamos: roomates! A localização é simplesmente a melhor possível. Exatamente no centro da cidade. Seria como se nós morássemos no Congresso Nacional, dá pra imaginar (piadinhas relacionada com política à parte =P)? Mas mesmo assim, deitada na MINHA cama, depois de tanto tempo, sentindo uma felicidade tão grande, a vontade de voltar só cresce!

Quando vim para cá, vim atrás de um crescimento pessoal que eu sabia que só teria aqui, em contato profundo comigo mesma. Vim em busca de um auto-conhecimento que me traria paz, de experiências de evolução. Hoje, faltando menos de 3 meses para voltar, tenho a certeza de que alcancei todos esses meus objetivos, e mais alguns outros, por tabela. Mas sei que ficar aqui significaria frear essa evolução. Ou, pior ainda, regredir. Então, time to move on.

Os planos para os últimos meses aqui são os melhores do mundo: Praga, Budapeste e Viena com as meninas, e Bruxelas, Amsterdam e Grécia com a Mari. Realização de um sonho, passando meu aniversário em terras gregas. Enquanto isso, apartamento novo, trabalho antigo e muita bagunça boa! E que venham os 3 últimos meses!!!!!!

Fotinhos do novo apartamento no próximo post. Por enquanto, algumas fotos da visita dos papitos aqui e do jogo do Brasil. Links ao lado!!!

* * *

Cida, estamos esperando ansiosamente sua visita! Seus filhos estão precisando de afago de mamãe =) Nós SEMPRE precisamos! Você precisava ver o Ulgem com a minha mãe: pareciam amigos de infância. Minha mãe AMOU ele (como não poderia ser diferente). Quem ótimo que vc conheceu minha tia, ela é super alto astral! Araxá cheia dos contatos! hehehehe

Daniiiiiiiiiiiiiii, to vendo o Cd até hj, acredita? São MUITAS fotos, e todas lindaaaaaaaaas! Que saudadeeeeeeeeeeeees! Dia 23, vamos brincar de abraçar por 1h??? =D Te amooooo!

Paaaaaaaaaaaam, que notícias maravilhosas!!! Como assim vc é metade húngara??? HÚNGARA?? kkkkkkkkkkkkkkkkk Mas agora, se vc conseguir isso, portas escancaradas por aqui! Tomara que dê mt certo! Fingers crossed!!!!

Toseiraaaaaas, que saudaaaaaaaaaaaades! Será q com todos esses empregos, rola uma parceria no 2º semestre? =D

Por que minha família não entra mais no blog? Hunft...

Beeeeeeeeeeeeijo